Reading

Nos tempos modernos, saber o que fazer, quando fazer e até, por vezes, com quem fazer, pode ser uma tarefa assustadora. Existe tanta pressão para dar a imagem certa que é incrível que alguém saia de casa. Ninguém gosta de ser considerado grosseiro, mal-educado ou ignorante. Mas existe ajuda. Com este guia, esperamos que seja mais fácil para si enfrentar todas as situações possíveis com graça, estilo e confiança. Acredite em nós, não há necessidade de permanecer em casa o resto da vida.

É claro que somos humanos e, por vezes, ficamos tensos, cansados ou a preguiça em geral toma conta de nós. Todos temos dias maus em que nos tornamos rabugentos, egoístas, grosseiros, aborrecidos e intencionalmente irritantes. Provavelmente, um pequeno esforço com outras pessoas faria com que estes momentos sombrios passassem muito mais depressa. De facto, está provado cientificamente que fazer um elogio a alguém ou dar uma ajuda pode encorajar até as mais tristes das pessoas grosseiras a reagir com delicadeza. Cá está: ser amigável, bem-educado e respeitoso faz-nos felizes.

Tratar os outros como gostaríamos de ser tratados é a primeira regra da etiqueta, logo, ser amigável, bem-educado e respeitoso constitui uma base importante. Mas o que se deve fazer em novos e confusos cenários? Como conseguimos fazer com que os estranhos se sintam bem? E como podemos neutralizar situações em que os outros não são tão socialmente inteligentes ou cuidadosos como nós?

Nos capítulos deste manual vamos falar de etiqueta – mas com uma variante. A palavra “etiqueta” lembra imagens preocupantes de reverência à realeza, lenços de mão ou utilizar os talheres certos – tudo lições úteis e necessárias, estamos certos, mas não tão úteis como aprender a saber quando é aceitável utilizar o telemóvel, como não ofender o novo patrão e como dizer à sua melhor amiga que o traseiro dela fica demasiado grande naquele vestido. Trata-se de aprender as novas maneiras. É essa a nossa intenção. Fornecer um código útil para ir de A a B sem levar uma sova.

À medida que o mundo muda, todas as nossas tradições e sistemas são questionados e radicalizados, e nós – a nova geração – tem de conhecer o resultado o mais depressa possível. Necessitamos de um código de conduta para os tempos modernos.